Conteúdo de Fake News viralizou utilizando o algoritmo do YouTube.

Dados foram reunidos e analisados por empresa de San Francisco.

Com ajuda do “mecanismo de recomendação” do site, canais do YouTube, disfarçando-se de veículos de notícias, acumularam milhões de visualizações com vídeos falsos durante meses neste ano. Diversas contas exploraram uma ferramenta que automaticamente cria canais sobre certos tópicos, que são automaticamente preenchidos com vídeos relacionados ao tópico – incluindo, neste caso, informações claramente imprecisas. Muitas dessas contas já foram fechadas pelo YouTube.

A maneira como tais canais viralizaram tão rapidamente gera questionamentos sobre como a empresa se organiza para combater tais informações falsas. Plasticity, uma startup de San Francisco, revelou à CNN centenas de exemplos de como as contas fizeram suas histórias parecerem provocativas e confiáveis. O YouTube afirmou na quinta-feira (12/12/19) que seus analistas haviam determinado que os canais eram administrados no Sudeste da Ásia e faziam parte de uma campanha de spam, criada para ganhar dinheiro com anúncios online. A empresa disse que não encontrou nada sugerindo que os canais eram apoiados por algum Estado ou que faziam parte de uma campanha de influência coordenada. Apesar de CNN e Plasticity terem visto centenas de vídeos sobre notícias e política, o YouTube afirmou ter removido diversos vídeos, a maioria deles sobre entretenimento.

Um porta-voz da CNN deu sua opinião sobre o assunto: “Manipular propriedade intelectual para enganar o público é um problema incrivelmente sério. Plataformas como o YouTube carregam a responsabilidade de gerenciar a integridade do conteúdo que transmitem a seus usuários. Jornalistas conhecem e praticam isso efetivamente há gerações. Esta é a grande diferença entre eles e as plataformas.”

Traduzido e adaptado por Lucca Apollonio Caixeta
Fonte: The Mercury News (13/12/2019)
Matéria Completa: https://tinyurl.com/qou4zrl