Como a Netflix conquistou o mercado de filmes e séries?

No decorrer das últimas décadas, a forma em que adquirimos e assistimos qualquer tipo de conteúdo vêm mudando drasticamente e essas mudanças são notáveis em nossa rotina. Hoje em dia chega a ser difícil nos lembrarmos do tempo em que íamos a uma vídeo-locadora na intenção de locarmos um lançamento, nos frustrávamos porque o mesmo já havia sido alugado por outra pessoa e então passávamos dias na ansiedade do momento em que aquele título estaria disponível. É ainda mais difícil nos imaginarmos nos dias de hoje pagando multas por não rebobinarmos as fitas ou por atrasarmos a devolução de filmes.

A liberdade de escolha que temos atualmente é muito distante do tempo em que éramos reféns das emissoras de TV e precisávamos estar na frente do aparelho no exato momento em que algum filme, série ou programa começava, pois caso contrário, aquele trecho deixado para trás só poderia ser assistido se houvesse uma reprise.

Com as plataformas de streaming temos tanta liberdade que a nossa maior dificuldade acaba se tornando a escolha do que iremos assistir, pois são tantas opções que acabamos nos perdendo por horas até decidirmos por algo. E não tem como falarmos de plataformas de streaming sem darmos ênfase a Netflix: A primeira plataforma que vem a nossa mente quando pensamos no assunto.

Mesmo ganhando concorrentes a todo momento, a Netflix se mantém como a plataforma de streaming número um do público e é sempre lembrada por ter sido a responsável pela popularização desse meio de adquirimos conteúdos.

Chega a ser estranho pensarmos que a empresa foi fundada 1997 com outra proposta, oferecendo serviços de entrega de DVD em domicílio, visto que o nome da marca atingiu sua popularidade mundial com o streaming na última década.

Você sabe o porquê da empresa ter esse sucesso tão estrondoso?

Depois de ficar por anos disponibilizando filmes de diversas origens, gêneros e épocas, além de algumas séries televisivas bem sucedidas (como por exemplo “Breaking Bad” e “How to Get Away with Murder”), a Netflix mergulhou de vez na ideia de produzir seu próprio conteúdo original, tendo como primeiro projeto a série “House of Cards” (2013) e como primeiro filme “Beasts of No Nation” (2015). Ambos os conteúdos foram um sucesso entre o público e a crítica, fazendo com que a quantidade de conteúdos originais da empresa só aumentasse.

Essa busca por produzir o próprio conteúdo talvez tenha sido motivada pela necessidade de manter seu catálogo com novidades constantes sem ter que depender de estúdios alheios, pois muitos detentores de conteúdo que disponibilizavam seus materiais na Netflix começaram a criar as suas próprias plataformas para concorrerem com a mesma, fazendo com que esses títulos deixassem o seu catálogo.

Sendo assim, os conteúdos originais caíram no gosto popular e a Netflix se estabeleceu como a plataforma de streaming preferida do público. Um dos motivos que explica isso é a liberdade de produção que a empresa tem e a liberdade que oferece ao seus consumidores. Um exemplo que pode ser dado é o fato de que antigamente quando você gostava de uma série televisiva, tinha a entrega de um episódio por vez, enquanto a empresa já tem o costume de disponibilizar as temporadas de suas séries completas, dando a possibilidade ao público de assistir o próximo episódio ou até mesmo de ‘maratonar’ qualquer série em qualquer momento, sem ter que esperar pela exibição do próximo episódio no dia ou na semana seguinte.

Além disso, a falta da necessidade de todos os episódios de suas séries terem aproximadamente a mesma duração, além da classificações indicativas em seus materiais, deu a Netflix a possibilidade de produzir episódios de mais de uma hora pras suas séries, algo que o público adorou, sem falar na liberdade de produção de cenas mais pesadas que não teriam acesso ao horário nobre da televisão.

Esses elementos geraram, por exemplo, o sucesso estrondoso da série “Demolidor” (2015), que rompeu barreiras que sempre impediram os filmes da Marvel Studios a irem além do que já era esperado. Após criar sua identidade com seu conteúdo original, a Netflix enfim alcançou os grandes diretores de cinema, produzindo o belíssimo “Roma” (2018), de Alfonso Cuarón (“Gravidade” e “Childen of Men”), e do extraordinário “The Irishman” (2019), do lendário Martin Scorsese.

Ambos fizeram escolhas que podem ser chamadas de ‘geniais’. Ceder os direitos de seus filmes significou um aumento considerável no número de espectadores. Afinal, um dos títulos é um filme mexicano em Preto e Branco e o outro tem 210 minutos de duração. Isso deixa ainda mais claro que a Netflix está monopolizando o mundo do Cinema e da TV, lançando cada vez mais conteúdos originais e ameaçando tanto salas de cinema quanto canais de séries como Warner e HBO. As grandes premiações não tem outra alternativa senão recompensar todo ano algum título original da empresa.

A Netflix se mantém como a plataforma de streaming número um do público porque desde antes da popularização do meio, ela sempre buscou estar a frente dos concorrentes e dos problemas que viriam a surgir, trazendo soluções surpreendentes antes que qualquer situação pudesse vir a prejudicá-la. Além disso, a empresa mantém uma relação de diálogo objetiva com seus consumidores, dando atenção a pedidos, reclamações e entregando todo seu conteúdo com extrema qualidade com um preço justo e acessível.

Outras plataformas de streaming como o Prime Video da Amazon começam a ganhar bastante notoriedade atualmente, mas é evidente que essas plataformas conseguem alcançar esse sucesso por terem observado, se inspirado e aprendido muito com a Netflix que continua com novidades surpreendentes.

E você, além de assistir os conteúdos da plataforma, aprendeu algo com a forma de trabalho da Netflix? Inspire-se e não deixe a sua empresa ficar para trás das concorrentes!

Escrito por: Lucca Apollonio Caixeta